sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Pisar errado causa desvio no corpo e gera dor



Todo ser humano tem um centro gravitacional de equilíbrio e estabilidade, sendo os pés a base de toda sustentação e alinhamento. Desde que começamos a andar, nossos pés sofrem alterações visando adquirir um... melhor equilíbrio e alinhamento postural. Tendões, articulações e músculos que passam pelo tornozelo, joelho, quadril e coluna vertebral podem sofrer modificações. Se algo acontecer nos pés, como traumas, fraturas, cirurgias, doenças genéticas ou posturais, poderá ocorrer no corpo, uma série de compensações e desvios que geram dores, enrijecimentos, contraturas musculares, limitações dos movimentos e o aparecimento de patologias ortopédicas. Se você tem um problema crônico de dor ou desvios, preste mais atenção nos seus pés.
 

Como saber se estamos pisando errado

Hoje existe um exame chamado de Baropodometria ou “Teste da Pisada” que analisa como  você anda, qual o tipo de pé e pisada você tem e como está sua postura em relação  aos seus pés. Este exame é indicado na fase adulta ou  partir dos 5 anos de idade. Nesta fase temos que estar atento a pisada dos nossos filhos.




Outras dicas são:
Quedas frequentes, pezinho chatos ou totalmente planos “sem a curva dos pés”, joelhos em X ou valgo “joelhos voltados para dentro”.  Dificuldade de arrumar e se adaptar a calçados, entorses frequentes do tornozelo, inflamação e dores frequentes, bolhas, calosidades, rachaduras, unha encravada, joanete, deformações nos pés  e joelhos devem ser considerados como marcas de expressão e isto quer dizer que algo está errado com seu pé e pisada.

O que causa essa pisada errada?
Existem vários fatores que podem afetar a pisada errada. Idade, fatores genéticos e hereditários como frouxidão ligamentar “pezinho mole” ou pé rígido “pé cavo”. Luxação ou subluxação no quadril sofrida durante o parto pode comprometer todo o desenvolvimento da pisada se não for acompanhadas e corrigidas. Perna curta,  doenças neurológicas, diabéticas , vasculares, reumatologias e degenerativas como artrose,  afetam e deformam as estruturas ligamentares, musculares e óssea dos pés alterando a pisada. Uso de calçados inadequados. Dor é um sintoma que algo está errado com seu pé.  Fatores externos como fratura, cirurgias, obesidade, uso de andador pela criança e  forçar a criança a andar precocemente são prejudiciais e causam alteração na pisada.
Como melhorar essa pisada ?
A melhor pisada é quando apresentamos um equilíbrio postural global, quer dizer uma harmonia entre o pé, joelho, quadril e coluna vertebral. Hoje temos técnicas e métodos posturais para corrigir, prevenir e equilibrar estas alterações que possam aparecer. Hoje existe cirurgias para correção caso haja alguma alteração importante na pisada. Uma Avaliação Médica para determinar se há uma patologia comprometendo seu pé e uma Avalição Postural são de grande importância. Métodos como RPG, Pilates, Palmilhas Posturais, Órteses, Osteopatia, Musculação, alongamentos, exercícios de reabilitação, fortalecimento e propriocepção  são de grande valia.
Quais os cuidados para o dia a dia ?
Primeiro, qualquer aparição nestes sinais e sintomas citados acima você deve  procurar um especialista para identificar a causa. Se o pé for o causador principal,  devemos tratar o pé,  sua pisada e consequências. Quanto mais precoce você descobrir melhor. Escolher o calçado ideal de acordo com sua idade,  profissão e atividade física são importantíssimos e isto pode ser conseguido realizando o teste da pisada chamado de  Baropodometria. Procure e opte pelo sapato mais flexível. Ficar atento a calos, bolhas e manchas avermelhadas pode ajudar você a entender se está usando um sapato adequado ou não. Se perceber que o sapato está deixando o pé marcado, pode ser um sinal de que precisa mudar de calçado. Às vezes, aumentar ou melhorar a amarração já pode ser suficiente. Na hora de escolher um sapato para caminhar ou correr, é fundamental perceber se ele tem amortecedor. Andar descalço é bom porque preserva a saúde dos pés e mantém os músculos ativos, as articulações móveis e as juntas saudáveis.
Dr. Luiz Fernando Sola
Fisioterapeuta Especialista em Podoposturologia, Posturologia, Palmilhas Posturais, Baropodometria.

PODOPOSTUROLOGIA - Palmilha Postural

                         Reprogramação Postural através do uso de Palmilhas Posturais.
Todo ser humano tem um centro gravitacional de equilíbrio e estabilidade, sendo os pés a base de toda sustentação e alinhamento. Desde que começamos a andar, nossos pés sofrem alterações, visando o melhor equilíbrio, regulando e coordenando a postura estática e dinâmica e alinhando nossa estrutura esquelética por meio de tendões, articulações e músculos, passando pelo tornozelo, perna, joelhos, quadris, região lombar e cervicodorsal. Quando apresentamos desequilíbrio neste sistema postural, surgem dores, enrijecimentos, contraturas musculares, patologias de ordem postural e limitações nos movimentos. Com base nos princípios da neurofisiologia da postura humana surgiu um novo conceito terapêutico: a Podoposturologia, área da fisioterapia que reeduca e realinha a estrutura do corpo através de Palmilhas Posturais.
O tratamento vai consistir em uma avaliação e a confecção de uma palmilha especial para corrigir a postura do paciente. A diferença desta palmilha é que na sua composição são fixados alguns elementos que em contato com os pés fornecem informações ao sistema nervoso e, como resposta, o corpo conduz um reequilíbrio através das reações reflexas dos músculos, corrigindo as assimetrias posturais.

Indicações das Palmilhas Posturais:

- Dores nas plantas dos pés (metatarsalgias);
- Esporões de calcâneo;
- Alterações de arco plantar (pés cavos / pés planos ou chatos);
- Joanetes (hálux valgo);
- Alterações de curvatura da coluna vertebral;
- Lombalgias;
- Cervicalgias;
- Hérnias e protusões discais;
- Distúrbios de ATM (articulação têmporo-mandibular);
- Alterações de joelhos (condromalácia patelar por alteração de carga local);
- Alterações em quadril / ilíaco (disfunções sacro-ilíacas);
- Dores de cabeça (cefaléias occiptais e de tensão);

Maiores informações acesse :

Dr. Luiz Fernandao Sola

Podoposturologia / Baropodometria / Palmilha Postural

                                    http://www.institutokrion.com.br/palmilhas/index.html

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Especialistas afirmam que pisar errado gera desequilíbrio corporal e origina dores em diferentes partes do corpo.

        










Todo ser humano tem um centro gravitacional de equilíbrio e estabilidade, sendo os pés a base de toda sustentação e alinhamento. Desde que começamos a andar, nossos pés sofrem alterações, visando o melhor equilíbrio, regulando e coordenando a postura estática e dinâmica e alinhando nossa estrutura esquelética por meio de tendões, articulações e músculos, passando pelo tornozelo, perna, joelhos, quadris, região lombar e cervico-dorsal. Quando apresentamos desequilíbrio neste sistema postural, surgem dores, enrijecimentos, contraturas musculares, patologias de ordem postural e limitações nos movimentos. Com base nos princípios da neurofisiologia da postura humana surgiu um novo conceito terapêutico: a Podoposturologia, técnica de origem francesa que reeduca e realinha a estrutura do corpo através do uso de Palmilhas Posturais . Estas são confeccionadas após exame computadorizado dos pés chamado “Baropodometria” que analisa corretamente a maneira como você pisa, anda e qual o tipo de pé e postura. A partir deste estudo minuncioso o fisioterapeuta especialista em Podoposturologia identifica e corrige possíveis alteração da pisada usando estímulos podais, que são feitos de elementos confeccionados em EVA e espuma com densidades e espessuras diferentes, que dependendo do caso serão inseridos na palmilha. Estas são adaptada ao pé do paciente através do processo de termomoldagem, que favorece o maior contato da palmilha com os pés e facilita assim a captação dos estímulos pelo sistema nervoso. A técnica corrige vícios posturais decorrentes dos desequilíbrios que comprometem a saúde tanto de atletas quanto de pessoas sedentárias. A novidade pode ajudar quem sofre com alterações posturais (principalmente a escoliose), diferença no tamanho das pernas, dores nas costas, quadril e/ou joelhos. Isso ocorre por conta de um distúrbio nos pés com alteração no tipo de pisada e consequente desequilíbrio postural. É recomendada também quando há dores e/ou alterações locais nos pés, como esporão de calcâneo, fascite plantar, joanete, calosidades, pé chato, neuroma de Morton e tendinite de calcâneo. A boa notícia é que a maioria dos pacientes com problemas posturais não precisa ficar a vida inteira usando a palmilha. "Há problemas que são solucionados entre 45 dias e seis meses, outros em um, dois ou três anos. Em apenas cerca de 30% dos casos, o uso de palmilhas é necessário de forma continuada", fala Luiz Fernando Sola , fisioterapeuta responsável pelo Núcleo de Estudo da Postura do Instituto Krion.



quinta-feira, 25 de abril de 2013

CONHEÇA O TÊNIS SPIRA

                         Sistema de amortecimento WaveSpring reduz as forças de impacto e evita lesões
Adquira seu tênis Spira pela internet.
 Utilize na hora da compra o Código cupom boapostura. Você vai adquirir benefícios e descontos. www.spirabrasil.com.br

quinta-feira, 18 de abril de 2013

A Tecnologia aos seus Pés - Conheça o Tênis Spira que absorve mais de 20 % de impacto.

Combinação perfeita : Tênis Spira e Palmilha Postural
Você que acompanha o nosso blog, agora tem a chance de conhecer e adquirir um tênis inovador, com grande indicação e aceitação para pessoas que sofrem de dores nos pés, joelho, quadril e coluna. Saiba porquê.
Como o Tênis Spira ® pode ajudar.
Não importa o que você veste em seus pés. Há 26 ossos em seu pé, que compõem cerca de 25% de todos os ossos do seu corpo. Existem mais de 100 músculos, tendões que se ligam ao músculo, osso e ligamentos que ligam osso com osso. Para absorver tanto impacto foi desenvolvido uma mola para distribuição de cargas . A tecnologia WaveSpring ® na sola oferece uma notável combinação de conforto, amortecimento e retorno de energia. A cada passo, a tecnologia de amortecimento entressola mecânico ajuda a absorver o choque e stress, e ajuda a reduzir as forças de impacto nestas estruturas.
Adquira seu tênis pela internet.
Em parceria com a empresa Spira Brasil o boaPostura -  www.facebook.com/boapostura , uma fan page que aborda assuntos relacionadas a postura , vai divulgar mais sobre as qualidades deste tênis, mas você já pode estar  adquirindo este tênis somente pela internet,  acessando o site: www.spirabrasil.com.br e usando o código cupom boapostura para adiquirir benefícios e descontos.
Adquire o seu, escolha o modelo que mais lhe atrai, todos os tênis tem a tecnologia wave spring de amortecimento.
Para avaliação de sua pisada e a escolha da palmilha ideal de acordo com seu pé acesse:
http://www.institutokrion.com.br/palmilhas/locaisDeAtendimento.html

terça-feira, 26 de março de 2013

Dores nos pés, problema de coluna e joelho, podem ser tratadas corrigindo sua pisada.
Conheça nosso tratamento através das palmilhas posturais.
http://www.institutokrion.com.br/palmilhas/index.html





segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Corredores !! Cuidado, identifique sua pisada.



Corredores que possuem o tipo de pisada supinada concentram a maior parte do apoio na borda externa do pé e podem ser reconhecidos pelas pernas arqueadas, estilo "cowboy". Dependendo do nível de supinação, porém, esse desvio postural pode sobrecarregar as articulações dos pés, joelhos e quadril, causando lesões e prejudicando o desempenho do atleta. Este tipo de pisada força principalmente os tendões e ligamentos localizados na área do tornozelo, mas também é prejudicial para a região das pernas e quadril. "Essa sobrecarga gera má distribuição da força e pode ocasionar dores em decorrência de inflamações nos tendões e na musculatura.
Corredor identifique sua pisada. Conheça a  avaliação que é feita por meio de um exame postural e da baropodometria - popularmente conhecida como teste da pisada, que não só identifica o tipo de pisada mas também o nível da supinação. Quando o nível é muito acentuado, o atleta pode vir a desenvolver uma série de lesões por conta da sobrecarga e do esforço repetitivo que a prática da corrida demanda. Dentre as mais comuns, estão inflamações no tendão fibular - situado na região lateral do pé, nos ligamentos do tornozelo, nos músculos das pernas e no trato iliotibial - região lateral da coxa, que segue da crista ilíaca (altura da cintura pélvica) até o joelho. Com a identificação de como você pisa,  existem formas de prevenir ou tratar através de uso de tênis apropriado ou o uso de palmilhas posturais,  que são confeccionadas exatamente de acordo com o seu tipo de pisada.

Quer fazer o teste da pisada ? Procure o lugar mais próximo de você.
Acesse :
http://www.institutokrion.com.br/palmilhas/index.html



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

VOCÊ SABE O QUE É CANELITE ?


As dores nos membros inferiores em corredores podem ter várias causas: musculares, tendinosas e/ou ósseas. A síndrome de estresse do tibial medial, popularmente conhecida como periostite medial de tíbia ou Canelite, é uma inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou dos tendões e músculos da tíbia, podendo se tornar fratura por estresse. É uma queixa comum em atletas, principalmente aqueles que costumam correr médias e longas distâncias. Além da corrida essa síndrome pode estar presente em outros esportes que envolvam o ato de pular, sendo os pousos e decolagens em superfícies duras, a principal causa da dor. A Canelite é caracterizada por dor na região anterior da perna que inicialmente ocorre durante o exercício e melhora após algumas horas, evoluindo para dor persistente mesmo com a cessação da atividade, podendo dificultar até o andar de forma lenta. Inicialmente ocorre uma inflamação no periósteo (fina camada que recobre o osso) e estruturas adjacentes como músculos e tendões da perna, podendo evoluir para micro fissuras no osso e até promover uma fratura por estresse caso o individuo não pare de correr.
Dentre os fatores de risco para o aparecimento da Canelite, podemos citar;
- Aumento excessivo no volume e/ou intensidade de treinamento, como também treinamento sem orientação de um profissional de educação física.
- Pessoas iniciantes no esporte ou que mudaram de atividade recentemente.
- A fraqueza dos músculos dos membros inferiores, como também a falta de alongamento dos músculos da panturrilha.
- Pisos duros e compactados como concreto e asfalto devem ser evitados, dê preferência a grama ou pisos de terra, evite também terrenos acidentados. Concreto é seis vezes mais severo para os seus tecidos da tíbia do que o asfalto. O asfalto é três vezes mais severo do que a terra batida. A grama é ainda mais macia, e diminui significativamente o risco de inflação na região da tíbia.
- Pés hiperpronados e hipersupinados.
- Correr inclinando o tronco para frente além de 5º.
- Mulheres na menopausa.
- Tênis inadequado para o seu tipo de pisada.
O diagnóstico exato da lesão é feito pelo médico, a fim de excluir a possibilidade de ser uma fratura por estresse. O relato da história clinica como também o exame físico é de fundamental importância para o diagnóstico. Caso o médico suspeite da fratura por estresse, a radiografia convencional é o primeiro exame a ser solicitado.
O tratamento é feito através de:
- Correção de qualquer condição estrutural com o uso de calçados e caso necessário, palmilhas personalizadas para o pé.
- Modificação da atividade, evitando-se as corridas e os saltos por aproximadamente 10 dias. Durante esse período o condicionamento cardiorrespiratório deverá ser mantido através de exercícios na piscina com flutuador, como também no ciclo ergômetro.
- A Crioterapia (gelo) e o TENS (estimulação elétrica trans cutânea) podem ser usados objetivando a analgesia local.
- Exercícios de alongamento para musculatura posterior da perna (Panturrilha).
- Com a regressão dos sintomas, devem-se iniciar de maneira progressiva, os exercícios de fortalecimento para toda musculatura que envolve a articulação do tornozelo (tibiais, fibulares e tríceps sural).
- Assim que o atleta estiver assintomático, pode-se iniciar o trote/corrida sobre a grama, por aproximadamente 20 minutos, com uma progressão de 10 a 15 semanalmente. É importante ressaltar que o mesmo já deverá estar adaptado ao tênis, caso seja portador de algum problema estrutural.
Algumas medidas devem ser adotadas na prevenção da canelite, dentre elas podemos destacar:
- Uso do tênis correto. Adequado ao seu tipo de pé e com amortecimento também na parte anterior. O uso de uma palmilha de silicone pode ajudar.
- Alongue antes da corrida, e mais uma vez depois do aquecimento.
- Aquecer. Informe ao seu corpo que ele será sobrecarregado. Pode-se usar meias de cano longo para ajudar no aquecimento.
- Não corra com dor nem em excesso. Respeite os sinais do corpo.
- Aumento gradual no volume ou intensidade do treinamento (não aumentar mais que 10 à 15 semanalmente). Não faça treino de velocidade prematuramente.
- Caso cometa um erro no treinamento e sinta dor na canela, coloque gelo, tome antiinflamatórios não esteróides e não cometa o mesmo erro novamente.
- Faça musculação. Músculos fortes diminuem o impacto sobre ossos e articulações.
- Corra em superfícies adequadas.
Dica: Aos primeiros sinais de dores na região anterior da perna, procure um profissional para uma completa avaliação e o correto diagnóstico e tratamento, só assim você terá condições de realizar suas atividades esportivas sem maiores complicações.
Fonte: Evaldo Darcy Bosio Filho - São Paulo/SP e Erodiana Freitas Naves - Belo Horizonte/MG